¨Cão sem Plumas¨espetáculo de Deborah Colker abre o 35º festival de Dança de Joinville

Deborah Colker, volta ao Festival, depois de seis anos, com seu novo trabalho “Cão sem Plumas”, que será apresentado na Noite de Abertura, no dia 19 de julho. Já a Noite de Gala, que ocorre no dia 24 de julho, fica por conta do coreógrafo Marcelo Misailidis, que prepara “Gala 35 anos Festival de Dança de Joinville”. O Festival de Joinville ocorre de 18 a 29 de julho. Os ingressos para as noites especiais, mostras competitivas e mostra estímulo já estão a venda no site do evento festivaldedanca.com.br ou na Sede do Instituto Festival de Dança de Joinville.

 O novo trabalho da Companhia carioca coloca em cena bailarinos cobertos de lama num espetáculo que trata da miséria e da destruição da natureza. O espetáculo da premiada coreografa Deborah Colker é inédito, tem data prevista de estreia junho de 2017, e chegará ainda quentinho ao Festival de Dança de Joinville. Deborah promete mostrar algo realmente novo, diferente de tudo que já produziu em seus 23 anos de Companhia.

A obra é baseada no poema homônimo de João Cabral de Melo Neto, publicado em 1950, e leva Deborah e seu grupo ao meio da pobreza e da riqueza do Estado de Pernambuco, no Nordeste brasileiro. Um ambiente bem distante da Rússia de Tatyana (2011) e da França de Belle (2014), os últimos balés da companhia. E com uma linguagem que não faz lembrar os trabalhos da coreógrafa que tiveram maior repercussão internacional: O Ovo, realizado em 2009 para o Cirque du Soleil; e a abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

Na criação de “Cão Sem Plumas”, Deborah tem um parceiro: o cineasta pernambucano Cláudio Assis, diretor de filmes marcantes como Amarelo Manga, Febre do Rato e Big Jato. Imagens captadas por ele serão projetadas durante o espetáculo – não como pano de fundo, mas como parte fundamental da narrativa.

Compartilhe

Deixe uma resposta