Grabr conecta comprador com viajante; entenda

Imagine poder comprar produtos importados sem sair de casa e com menos custo e burocracia do que nos modelos já disponíveis no mercado, como marketplaces e lojas virtuais. Isto já é possível graças ao Grabr, compartilhamento de bagagens, que conecta pessoas que desejam produtos que não encontram no Brasil, a milhares de viajantes ao redor do mundo com espaço disponível na mala.

A ideia foi criada pelo Grabr – (http://grabr.io/pt) app disponível em mais de 120 países que conecta viajantes a compradores e possui mais de 500 mil usuários cadastrados em sua plataforma. “A startup foi criada em 2015 na Califórnia, com a ideia de atingir, principalmente, países com uma economia em desenvolvimento e que cobram muitos impostos para produtos importados. Utilizamos a tecnologia para romper barreiras e para que todos tenham acesso aos seus produtos favoritos em todos os lugares do mundo”, explica Michele Chahin, gerente de marketing da Grabr.

Como funciona para o comprador

Por meio do compartilhamento de bagagens é possível comprar produtos do mundo todo sem sair de casa, de forma rápida e segura. O comprador além de economizar, não precisa pagar altas taxas de frete nem esperar meses para receber o produto. A economia para os brasileiros costuma ser de 30% a 40%, em média, podendo chegar a 70% em épocas de campanhas promocionais, como a black friday. Segundo o Grabr, as mercadorias mais procuradas e que também geram mais economia para os compradores brasileiros são os eletrônicos e os produtos para bebês.

Para gerar um pedido na plataforma é necessário inserir alguns dados do produto como a descrição do item e link de onde ele pode ser comprado no país do exterior. Com isso, viajantes indo ou voltando para estas localidades podem trazer o produto, com uma taxa de recompensa, calculada pelo app, com base no preço do produto. O valor da comissão só é liberado para o viajante após a entrega ser efetuada, garantindo a segurança do acordo. Em caso de problemas com o pedido e entrega da compra, a startup reembolsa os valores pagos, garantindo a segurança das transações. 

Como funciona para o viajante

A plataforma permite que viajantes monetizem suas viagens por meio do programa de “recompensas”, ou seja, ao trazer produtos dentro do espaço livre de suas bagagens, o usuário recebe uma bonificação. É uma maneira segura de obter uma renda extra e ainda se conectar com pessoas do local que visitam. É responsabilidade do viajante realizar a compra no exterior – geralmente por meio de cartão de crédito – e depois fazer a entrega do pedido.

“O Brasil é um dos destinos que mais recompensam os viajantes, com uma média de ganhos em torno de US$ 500 por viagem. E, como incentivo, a cada dez itens transportados em uma única viagem, a Grabr ainda oferece um prêmio de US$ 100”, finaliza Michele.

Compartilhe