WTM LA – Tecnologia móvel é destaque no Relatório de Tendências 2016

A World Travel Market Latin America, em parceria com a Euromonitor International, divulgou o Relatório de Tendências 2016. Apresentado por Alexis Frick, Gerente de Pesquisa, o relatório aponta as tendências do turismo para os próximos anos e destaca os chineses como maiores emissores de turistas no mundo até 2025. O relatório aponta também que até 2019 a China alcançará a 10ª posição de turistas emissivos na América Latina, ultrapassando Austrália, Japão e Rússia. Atualmente, o México é o destino mais procurado pelos chineses, seguido por Brasil, Venezuela e Argentina. Em seus gastos ao redor do mundo, destacam-se as compras de produtos de marcas de luxo. Frick ressaltou que os players estão se adaptando a esse novo mercado de turistas tornando o ambiente de hospedagem mais agradável e familiar, disponibilizando chaleira elétrica para que tomem água quente, tradição em seu país, sleepers nos quartos e tradutores nas recepções.A tecnologia móvel também ganhou destaque no relatório apontando que os serviços online podem atender o consumidor em todos os momentos de sua viagem. A geração do milênio – perfil de idade entre 15 e 35 anos – da América Latina representa quase 35% da população, cerca de 200 milhões de pessoas, será a responsável por impulsionar a tecnologia na região. De acordo com Frick, “o profundo abismo na inclusão digital, a grande falta de familiaridade com os canais de vendas digitais, a falta de confiança na segurança e a preferência pelo uso de agências de viagens” explicam as vendas serão tão baixas na América Latina em relação às demais regiões apontadas. Esse novo avanço tecnológico será importante para as empresas oferecerem serviços personalizados aos seus clientes, entendendo e mapeando suas experiências, uma vez que no momento temos um grande potencial inexplorado. A tecnologia também trouxe um novo tipo de turista identificado como Viajante Nacional Autônomo (VNA) que utiliza a tecnologia como aliada e faz uso da conectividade para programar a viagem em todos os estágios, por conta própria.Ao tirar o intermediário, o viajante torna sua experiência mais autêntica e barata, uma vez que as taxas não são cobradas, e dá autonomia para que o próprio turista faça sua programação, de acordo com aquilo que mais lhe agrada, sem seguir roteiros e horários.

Compartilhe

Deixe uma resposta