Veja dados detalhados dos turistas estrangeiros no País

Em 2006 o Brasil recebeu 5,017 milhões de turistas estrangeiros. Em 2007, 5,025 milhões. Em 2008, 5,050 milhões. Em 2009, houve queda de 5% e chegou-se a 4,8 milhões. Em 2010, houve recuperação da queda, com a chegada de 5,16 milhões de visitantes, dos quais 3,6 milhões por via aérea. O mesmo patamar há anos. Há várias explicações (câmbio, falta de voos, falta de lugares nos voos, devido às viagens de brasileiros ao Exterior, falta de competitividade em relação a outros destinos, foco no turismo doméstico, bastante aquecido, falta de investimento maciço em publicidade no Exterior), mas analisar os dados sempre é bom para apontar caminhos e oportunidades.Confira a seguir alguns detalhamentos que o Portal PANROTAS pediu e a Embratur enviou. Esperamos que seja útil para o negócio de tantos fornecedores que dependem do receptivo internacional.ÁFRICAForam 83,7 mil turistas, contra 78,1 mil em 2009. Angola liderou com 38 mil visitantes e a África do Sul ficou em segundo lugar, com 21,3 mil. Os números de Angola subiram e os da África do Sul caíram em relação a 2009.AMÉRICA CENTRAL E CARIBEA região colaborou com 38,9 mil visitantes, contra 31,8 mil no ano anterior. Destaque para a Costa Rica, com 9,8 mil turistas, contra 8,5 mil em 2009.AMÉRICA DO NORTEFora, 773,1 mil turistas, cerca de 40 mil a mais em relação a 2009 (735 mil). Enquanto o Canadá manteve-se estável, com 64 mil visitantes, e o México caiu um pouco ( de 68 mil para 67,6 mil), os Estados Unidos subiram de 603 mil em 2009 para 641,4 mil no ano passado.AMÉRICA DO SULContribuiu com 2,4 milhões de visitantes, cerca de 300 mil a mais em relação a 2009. A Argentina liderou com 1,4 milhão, sendo 567,9 mil por via aérea. Veja outros resultados na região: Bolívia (subiu de 83,5 mil para 99,3 mil), Chile (subiu de 170,5 mil para 200,7 mil), Colômbia (subiu de 78 mil para 85,6 mil), Equador (caiu de 26,2 mil para 23 mil), Guiana Francesa (caiu de 15,1 mil para 12,6 mil), Paraguai (subiu de 180 mil para 194 mil), Peru (subiu de 79 mil para 81 mil), Guiana (5,2 mil), Suriname (2,9 mil), Uruguai (subiu de 189 mil para 228 mil, sendo 76 mil por via aérea) e Venezuela (caiu de 53,9 mil para 51,1 mil).ÁSIAA região cresceu no envio de visitantes ao Brasil: pulou de 200 mil para 220 mil. A China enviou 37,8 mil (contra 28,2 mil), a Índia 18,2 mil (contra 11,3 mil), Israel 37 mil (contra 29,4 mil), e a Coréia 30,8 mil (contra 24 mil).EUROPANúmeros estáveis: 1,612 milhão em 2009 e 1,614 milhão no ano passado. Quem subiu: Alemanha (226,6 mil em 2010), Áustria (26,6 mil), Bélgica (34 mil), Espanha (179,3 mil), Holanda (76,4 mil), Portugal (189 mil), República Tcheca (5,7 mil) e Rússia (de dez mil para 15,9 mil).Quem caiu: Dinamarca (21,4 mil em 2010), Finlândia (13,2 mil), França (199,7 mil), Grécia (7,5 mil), Hungria (4,9 mil), Inglaterra (167 mil), Irlanda (16,5 mil), Itália (245,5 mil), Noruega (27,8 mil), Polônia (13,8 mil), Suécia (34,1 mil) e Suíça (70 mil).A maior explicação para a queda de muitos mercados e a estabilidade da maioria ainda é a recessão mundial iniciada em 2008, além do fato de o Brasil ter ficado mais caro devido à valorização do real.OCEANIAO continente enviou 46,3 mil turistas, contra 48,2 mil em 2009. Destaque para a Austrália, com 36,8 mil.OS DEZ MAIORES EMISSORES1 – Argentina – 1,4 milhão. Share de 27,12% (em 2009 tinha 25,22%)2 – Estados Unidos – 641,4 mil. Share de 12,43% (12,57% em 2009)3 – Itália – 245,5 mil. Share de 4,76% (5,28%)4 – Uruguai – 228,5 mil. Share de 4,43% (3,94%)5 – Alemanha – 226,6 mil. Share de 4,39% (4,49%)6 – Chile – 200,7 mil. Share de 3,89% (3,55%)7 – França – 199,7 mil. Share de 3,87% (4,29%)8 – Paraguai – 194,3 mil. Shae de 3,77% (3,76%)9 – Portugal – 189 mil. Share de 3,66% (3,83% em 2009)10 – Espanha – 179,3 mil. Share de 3,47% (3m63% em 2009)ESTADOS MAIS VISITADOS1 – São Paulo – 2 milhões2 – Rio de Janeiro – 982 mil3 – Paraná – 725 mil4 – Rio Grande do Sul – 653,6 mil5 – Bahia – 166 mil6 – Santa Catarina – 128,4 mil7- Ceará – 95,8 mil8 – Pernambuco – 85,3 mil9 – Mato Grosso do Sul – 68,1 mil10 – Minas Gerais – 56,2 mil11 – Rio Grande do Norte – 46,8 mil12 – Distrito Federal – 37,9 mil13 – Amazonas – 26,4 mil14 – Pará – 19,5 milO Rio de Janeiro se destacou no crescimento (mais de 10% sobre 2009) e o Amazonas em decréscimo (de 37 mil para 26,4 mil).

Compartilhe

Deixe uma resposta