Aeroporto de Fortaleza prestes a lançar edital de reforma

Equipamento fundamental para o sucesso turístico de Fortaleza na Copa do Mundo de 2014, o Aeroporto Internacional Pinto Martins deverá ter seu edital de reforma e ampliação lançado apenas na segunda quinzena do mês de junho. A informação foi dada ontem pelo arquiteto Jonas Maurício Lopes, responsável pela Superintendência de Estudos e Projetos de Engenharia da Infraero, que participou da audiência pública promovida pelo Conselho Federal de Engenharia e Arquitetura (Confea) para debater as obras da Copa na Capital cearense.Pela lei de licitações, segundo Lopes, após a audiência pública realizada ontem em Fortaleza, a empresa tem 15 dias úteis para proceder à publicação do edital. O problema da morosidade da reforma do terminal já havia s ido evidenciado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), cujo estudo afirmava que o aeroporto da Capital não estaria pronto na época do evento esportivo.Processo ambientalO projeto de ampliação, orçado em mais de R$ 400 milhões (R$ 387 milhões em reforma e ampliação, R$ 5,5 milhões do projeto executivo e R$ 27 milhões de apoio à fiscalização da obra), já possui licenciamento ambiental prévio emitido pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) desde 1995.”Concluímos em abril o estudo complementar, enviado à Semace para renovar o processo de licença. Esperamos para breve a licença de instalação”, afirmou Lopes. “Fortaleza, seguramente, vai ficar com um dos aeroportos mais modernos do Nordeste”, comentou o superintendente de Estudos e Projetos da Infraero.Subestação de energiaPara sustentar toda a estrutura pensada, a Infraero já negocia com a Companhia Energética do Ceará (Coelce) a constr ução de uma subestação de energia de 69kV. “É uma infraestrutura muito cara, com elevados gastos de energia elétrica”, informou Lopes. Segundo ele, o projeto de uma nova subestação é orçado entre R$ 5 milhões e R$ 10 milhões – em bases iniciais de projeção. O projeto executivo do Pinto Martins será aprovado em paralelo ao início das obras, tendo por base o modelo de licitação do aeroporto de Confins (em Belo Horizonte). “É um processo muito grande, com 1.500 documentos, entre desenho, especificações técnicas e documentos”.Para melhorar o nível de conforto e de serviços, o Pinto Martins ganhará salas de embarque e desembarque em pisos completamente distintos, novos balcões de check in, mais seis pontes de embarque, que totalizarão 16 fingers “no futuro”, ampliação do pátio de aeronaves e construção de um pátio de rampas. A previsão de conclusão da primeira fase da obra é outubro de 2013.Como ficaO terminal de passageiros passará dos atuais 3 8.500 m² de área para 117.600 m², em 2014, e 133.800 m², em 2016. A expectativa é dotá-lo de uma capacidade operacional de movimentação de 7,4 milhões a 11,1 milhões de passageiros ao ano. No ano passado, a movimentação chegou a cinco milhões de passageiros. O novo estacionamento de veículos, projetado com quatro mil vagas, será licitado e entregue à iniciativa privada para administração. “Demais serviços serão licitados em separado”, comentou Lopes. Segundo ele, os projetos de duplicação do meio fio e criação de alças nas vias de acesso ao aeroporto já estão no projeto executivo.Para o superintendente de Estudos da Infraero, hoje não se constrói aeroportos sem o planejamento integrado dos equipamentos do entorno com as regiões metropolitanas. A preocupação da empresa, portanto, não é somente com eventos pontuais como Copa do Mundo e Olimpíadas.”Um aeroporto como o de Fortaleza, que já está indo para grande porte, causa impacto violento no fluxo de carro s e no nível de ruídos”, disse, acrescentando que a empresa trabalha com planejamentos de curto, médio e longo prazos.

Compartilhe

Deixe uma resposta