Rússia, o que levar para assistir a Copa

Há 80 dias do início de um dos eventos esportivos mais aguardados do globo, ainda dá tempo de curtir os jogos diretamente dos estádios? Essa é a dúvida de quem não se programou e agora pretende ir à Rússia, que vai sediar a Copa do Mundo 2018. Os jogos da FIFA acontecem de 14 de junho a 15 de julho e o diretor da Tô Indo Viagens, Gelson Walker, diz que, mesmo com o tempo curto, ainda é possível torcer pessoalmente pela nossa seleção.

Ele elenca oito dicas para quem decidiu viajar de última hora:

1) Passaporte: para entrar na Rússia o visto não é obrigatório. No entanto, é necessário estar com o passaporte ativo. “Preste atenção no calendário, pois ele deve ter pelo menos seis meses de validade a partir do seu retorno”, comenta. Com o documento, é possível permanecer por até seis meses no país.

2) Ingressos: como o objetivo é participar dos jogos e ver de perto o desempenho dos times, é fundamental a corrida pelos tickets. Alguns lotes para a venda dos ingressos já ocorreram, mas quem ainda não garantiu o seu ainda tem tempo. A última oportunidade para conquistar uma vaga nas arquibancadas acontece a partir do dia 18 no site da FIFA. A aquisição será por ordem de chegada.

3) Passagem: Gelson destaca que a compra mais próxima ao embarque implica em preços menos atrativos. No entanto, uma operadora de viagens poderá indicar as melhores condições e formas de pagamento do bilhete aéreo, além de dicas de hotel e pacotes de turismo para o número de dias escolhidos.

4) Vacinação: a Rússia não exige certificado internacional de vacinação contra a febre amarela, mas para evitar transtornos o ideal é garantir a certificação da Anvisa. A carteirinha pode ser solicitada tanto nas unidades de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), como nos aeroportos brasileiros.

5) Moeda: é importante levar dólares ou euros para trocar pelo rublo, moeda corrente no país. “Reais não são aceitos nas casas de câmbio. O rublo é a única forma de pagamento na Rússia e com uma assessoria para a viagem podem ser evitados contratempos”, salienta o executivo.

6) Idioma: todos sabem que o inglês é uma língua universal, mas, segundo Gelson, o ideal é saber ao menos expressões básicas como “bom dia”, “boa noite”, “por favor”, “obrigado” e “quanto custa” no idioma local, pois grande parte da população não fala a língua americana. “O alfabeto russo é complemente diferente do nosso, mas há vários aplicativos para celular ou sites que podem ajudar o viajante até mesmo na pronúncia das palavras”, comenta.

7) Turismo: a Copa do Mundo é uma grande festa. No total 11 locais irão receber os jogos, e a capital Moscou, conhecida como a cidade que nunca dorme, é a principal. Lugares importantes como São Petersburgo, Kazan e Sochi também sediarão o evento e os viajantes podem aproveitar para conhecer um pouco mais do país e seus pontos turísticos. Depois de Moscou, São Petersburgo é o maior município russo. Aqueles que gostam de história podem conhecer Kazan, que fica há aproximadamente uma hora de avião da capital.

8) Seguro viagem: ele funciona como um plano de saúde temporário. Garante indenização em situações de acidente e, se necessário, atendimento médico especializado. Os pacotes das operadoras englobam também este serviço de acordo com o período da viagem e coberturas que melhor beneficiem o cliente. “O seguro internacional é um pré-requisito para aproveitar o passeio sem grandes preocupações. Ele é necessário, pois os os convênios de saúde nacionais não são válidos no exterior”, explica.

Compartilhe